2.990 Graus – A arte de queimar no inferno, de Adilson Xavier [RESENHA]

Título: 2.990 Graus – A arte de queimar no inferno Autor: Adilson Xavier Páginas: 320 Ano: 2017 Editora: Panda Books   Sinopse O jovem delegado Hermano está longe de ser um policial típico. Filosofa sobre a verdade, gosta de poesia. Inexperiente e orgulhoso por jamais ter usado sua arma, ele recebe a missão de investigar o

Jogador nº 1, de Ernest Cline [RESENHA]

Título: Jogador nº 1 Autor: Ernest Cline Páginas: 466 Ano: 2015 Editora: Leya   Sinopse Cinco estranhos e uma coisa em comum: a caça ao tesouro. Achar as pistas nesta guerra definirá o destino da humanidade. Em um futuro não muito distante, as pessoas abriram mão da vida real para viver em uma plataforma chamada

Falando o Mais Rápido Que Posso, de Lauren Graham [RESENHA]

Título: Falando o Mais Rápido Que Posso Autora: Lauren Graham Páginas: 246 Ano: 2016 Editora: Record   Sinopse A estrela Lauren Graham dá um presente aos fãs. Em “Falando o mais rápido que posso”, a intérprete da eloquente e amada Lorelai Gilmore faz uma retrospectiva da sua vida e compartilha histórias engraçadíssimas sobre amadurecimento, o

O Ceifador, de Neal Shusterman [RESENHA]

Título: O Ceifador Autora: Neal Shusterman Páginas: 448 Ano: 2017 Editora: Companhia das Letras/Seguinte   Sinopse A humanidade venceu todas as barreiras: fome, doenças, guerras, miséria… Até mesmo a morte. Agora os ceifadores são os únicos que podem pôr fim a uma vida, impedindo que o crescimento populacional vá além do limite e a Terra deixe

Corte de Espinhos e Rosas, de Sarah J. Maas [RESENHA]

Título: Corte de Espinhos e Rosas Autora: Sarah J. Maas Páginas: 434 Ano: 2015 Editora: Galera   Sinopse Em Corte de Espinhos e Rosas, um misto de A Bela e A Fera e Game of Thrones, Sarah J. Maas cria um universo repleto de ação, intrigas e romance. Depois de anos sendo escravizados pelas fadas,

Meu Deus, mas que cidade linda, de Rodolfo Melo [RESENHA]

Título: Meu Deus, mas que cidade linda Autor: Rodolfo Melo Páginas: 144 Ano: 2017 Editora: Editora 42   Sinopse Meu Deus, mas que cidade linda é um livro que poderia ser descrito como uma coletânea de contos policiais, ou criminais, ou sobre a violência.  Mas, é mas um livro sobre as desigualdades sociais, sobre a