Precisamos conversar sobre…- Setembro #ESM

Precisamos conversar sobre “preconceito”

Olá leitores do Sala Literária! Tudo bem?

O tema deste mês do Projeto Escrevendo Sem Medo é Precisamos conversar sobre… e dentre vários temas sugeridos pela criadora do projeto, escolhi falar sobre preconceito.

Porém queria falar do preconceito não de forma geral, mas especificamente quanto ao preconceito literário.

Sabe quando você gosta muito, mas muito de determinado livro ou de determinado gênero e vem alguém e te esculacha porque você gosta daquele tipo de leitura? É exatamente dessa pessoa que estou falando e pode ser que você que esteja lendo esse post seja o preconceituoso. E não se acanhe em admitir. Quer que eu te conte um segredo? Eu também já fui assim.

Há um tempo, peguei uma resistência muito grande em relação a alguns livros de autoajuda. Normalmente aqueles que dizem: “para ser feliz siga estes passos”, “para ser rico faça dessa forma”, etc…

Particularmente não acredito, até hoje, que as coisas sejam tão fáceis assim. Enfim, não é este o objetivo do texto. Retornando… Ficava tão insatisfeita com esse livros que passei a julgar quem lia e ficava me questionando porque a pessoa leria este tipo de livro. Nunca fui cruel transmitindo estes meus pensamentos diretamente a alguém, todos foram guardados para mim (ainda bem).

Porém, já tem um tempo que comecei a notar uma quantidade absurda de pessoas que ofendem as outras, principalmente em redes sociais. Se fulano posta sobre um livro e diz: “Nossa, adorei esse livro!”, vem sicrano e diz ofensas sobre a pessoa do tipo que nem vou reproduzir aqui. Vão desde palavras claras, mas totalmente desprovidas de empatia até palavrões que nem eu conhecia.

Percebi que eu também julgava aqueles que liam determinados livros e refleti muito sobre isso. E isso não está certo! Caramba, como eu nem enxerguei o que eu fazia? A leitura que não me faz bem não quer dizer que não fará para outra pessoa!

Acompanho outros blogs e as indicações dessas pessoas. Muitos livros eu li e concordei com a opinião da(o) blogueira(o), mas em outros não e isso não interferiu em nada.

Cada ser humano tem uma experiência diferente de vida e gostos completamente diferentes. Há momentos que não estamos propensos a ler sobre determinados temas e ainda tem mais, dentro de cada tema tem diversas formas de escrita e de abordar o tema. Você pode gostar de apenas um livro do autor, como pode gostar de vários livros desse mesmo autor.

E isso me lembra o preconceito que muitos leitores ainda tem em relação a livros de Youtubers. Taísa, mas você gosta de livros de Youtubers? Pelos que já li, não, eu não gosto. Porém isso ainda é muito relativo, o tema, a escrita, se você acompanha o trabalho do(a) Youtuber. Querendo ou não temos que levar em consideração que são exatamente essas pessoas que atraem um público que não tem o hábito de ler: as crianças e os adolescentes. Não queira dar um livro de literatura clássica brasileira logo de cara e esperar que a criança vá se apaixonar pela literatura. Acredito que assim como para mim livros de autoajuda não valem a pena e para outros sim, livros de Youtubers são bons para alguns e para outros não. Mas julgar alguém pelo tipo de livro que ela lê não tem cabimento.

Não espere que a sua verdade seja a verdade absoluta, pois ela não é. Da mesma forma que você gosta de um determinado gênero haverá pessoas, muitas pessoas, que terão a mesma insatisfação em ler livros desse gênero.

 


O projeto Escrevendo Sem Medo foi criado pela Thamiris Dondóssola, do blog Historiar. Se ainda não conhece o projeto, você pode ler mais sobre ele aqui.

Um abraço e até o próximo post!

Escrito por: Taísa Ferreira Dias

© 2017 – 2018, www.salaliteraria.com.br. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *