Porção Literária #10 – Dançando Sobre Cacos de Vidro, de Ka Hancock



Olá leitores do Sala Literária! Na segunda-feira, postei aqui no blog a resenha do livro Dançando Sobre Cacos de Vidro, de Ka Hancock. E hoje, trouxe em nossa Porção Literária os trechos que mais se destacaram durante a história.

O livro Dançando Sobre Cacos de Vidro é um lindo romance, que mostra que o amor vai além da morte. A emocionante história entre o Mickey e Lucy, que está fadada a morrer de câncer e está grávida de seu primeiro filho.

Se você quiser conhecer um pouco mais sobre esse livro, então confere a nossa resenha aqui.

E vamos às Porções de hoje!

dancando-sobre-cacos-de-vidros

 

As Porções

 

Minha maior influência é minha esposa. Graças a ela estou decidido a manter uma boa distância do precipício, mesmo que nem sempre eu consiga. Às vezes, como quando ela ficou doente, o precipício vem até mim. Às vezes, isso acontece sem motivo algum. O abismo cresce de forma inexplicável, mesmo que eu corra dele para salvar a vida, até ficar sem chão sob meus pés e me ver perdido outra vez. Por mais que eu me esforce, é em vão.

 

Com Mickey, porém, haverá momentos em que vocês dançarão sobre cacos de vidro. Haverá sofrimento. Nesse caso, ou você fugirá ou aguentará firme até o pior passar.

 

“Percebi, naquele momento, que a palavra mais devastadora da língua não é câncer, como imaginei durante muito tempo, mas metástase. Metástase. Essa palavra horripilante perfurou meu cérebro como cacos de vidro, deixando apenas desesperança em seu rastro…”

 

Por mais que tentasse, porém, eu não conseguia me conformar com o timing. Não agora. Não quando eu estava grávida. Por que não no ano anterior? Ou dali a seis meses?

 

Apertei contra o peito as folhas escritas por meu pai e um arrepio me subiu pela espinha. Meu pai, grande e forte em seu uniforme, tinha escrito um conto de fadas para nós. Não dava para acreditar em quanto ele nos conhecia e como nos amava. Enxuguei os olhos e tornei a guardar a história no envelope, experimentando uma saudade dele que não sentia havia anos.

 

Você vai pensar nela todos os dias pelo resto da vida. E não vai doer sempre, só na maior parte do tempo. Não estou certo do que você está procurando, Mic, mas quando se ama uma mulher como se ela fosse o ar que respiramos, do jeito como você ama Lucy, como amei sua mãe, pode demorar uma vida inteira para nos recompormos.

 

As pessoas me olham como se eu fosse especial porque Mickey é o Mickey e eu o aguento há todo esse tempo. A única coisa especial em mim é o fato de ele me amar.

 

Participe!

Todas as semanas destacamos os melhores trechos dos livros em nossa Porção Literária e você pode participar. Deixe nos comentários qual livro você gostaria que fosse destaque aqui. Aproveite para ver nossa Porção Literária da semana passada com o livro O Morro dos Ventos Uivantes, de Emile Brontë, e também a resenha que fizemos deste mesmo livro.

Se você quer estar atualizado sobre as novidades aqui do blog e receber em primeira mão nossos posts, assine o BOLETIM localizado na lateral do site.

Abraço e até a próxima Porção! 😉

Escrito por: Taisa Ferreira



© 2016, www.salaliteraria.com.br. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *