O Morro dos Ventos Uivantes, Emily Brontë [Resenha]



O_Morro_dos_Ventos_UivantesResumo

Mr. Lockwood acaba de se mudar para a granja Thrushcroos e decide fazer uma visita a seu vizinho, no Morro dos Ventos Uivantes, e também dono da casa onde está alojado. Fica intrigado diante da personalidade do seu vizinho, Mr. Heathcliff, um homem bruto e pouco sociável, e dos demais moradores daquela estranha residência. Em uma de suas visitas, é obrigado a dormir na casa do Morro dos Ventos Uivantes e passa por uma terrível experiência com sonhos assustadores.

Mr. Lockwood voltou na manhã seguinte para a granja Thushcroos, ficando doente e de cama por um bom tempo. Sua única companhia naquele momento era de sua governanta, Mrs. Dean que lhe contou a história de Mr. Heathcliff e os demais moradores do Morro dos Ventos Uivantes.

Há muitos anos, moravam naquela casa a família Earnshaw: Mr. Earnshaw, sua esposa e seus dois filhos, Hindley e Catherine. Em uma noite chuvosa Mr. Earnshaw encontra um garoto perdido, decide levá-lo para casa e cuidar dele como seu filho. Esse garoto era Heathcliff. Mrs. Earnshaw e Hindley não gostam da atitude de Mr. Earnshaw e passam a odiar o garoto, mas Catherine cria laços fortes com ele. Passados alguns anos Mr. e Mrs. Earnshaw morrem e Hindley passa a cuidar do casa da família e a humilhar Heathcliff.

Apesar de Catherine amar Heathcliff, ela decide deixá-lo e se casar com Edgar Linton, seu vizinho, que possui dinheiro e boa reputação. Por isso, Heathcliff fica enfurecido e decide fugir, deixando Catherine e o Morro dos Ventos Uivantes. Após alguns anos Heathcliff retorna com a intensão de se vingar de todos.

Minhas Conclusões

Catherine e Heathcliff estão muito longe de serem um casal perfeito, bondoso e cheio de amor pelo próximo. Ambos são maldosos e egoístas, e talvez seja essa a razão por se darem tão bem. Mas mesmo não sendo o casal de mocinhos da história é impossível não se ligar a eles e esperar durante toda a história que acabem ficando juntos.

A escrita do texto é mais elaborada, pois a primeira edição do livro foi em 1847, mas isso não impede que a leitura transcorra facilmente pelo leitor. As idas e vindas da história são surpreendentes deixando sempre, ao final de cada capítulo, uma “pulguinha” atrás da orelha e fazendo com que você queira ler mais e mais capítulos. Mesmo com uma escrita mais elaborada ela não se torna cansativa e não prolonga por muito tempo o assunto.

Para quem gosta de romances com muitas reviravoltas, é o livro perfeito.

E você, já leu o livro O Morro dos Ventos Uivantes? O que você achou sobre a história? Compartilhe com a gente!

Escrito por: Taísa Ferreira Dias



© 2016, www.salaliteraria.com.br. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *