A Lucidez da Lenda, de Raul de Taunay [RESENHA]

Título: A Lucidez da Lenda – Um Ensaio Sobre o Futuro

AutorRaul de Taunay

Páginas: 408

Ano: 2018

Editora: Pandorga

 

Sinopse

Na pequena São Bento da Ribanceira, cidade amazonense fictícia criada para ser um dos palcos de A lucidez da lenda: um ensaio sobre o futuro, romance épico passado na segunda metade do Século XXI, o ditado que diz que ‘Deus é brasileiro’ parece se confirmar. É ali que Ele, sob diferentes formas e em diferentes momentos, vai se comunicar com Antônia dos Anjos, uma jovem ribeirinha cuja missão será impedir a destruição da Amazônia por parte da Federação das Corporações Unidas, a mega associação de multinacionais, que com seu poderio econômico, midiático e bélico domina a Ordem Mundial. Nesse romance ambientado no futuro, muitos são os acertos do autor: i) personagens bem construídos – de Antônia dos Anjos a Jack Gorila Stealler, os principais, passando por Laráppio, Smartt, Jovelino, além dos índios Jurujunas, Ammos e Tapunuê, da revoltada Bonnie e do repórter André; ii) boas descrições de ambientes, ao estilo naturalista, sejam eles a aldeia dos Jurujunas, a mata virgem do alto Amazonas, os descampados de Brasília ou os arranha-céus de Nova Iorque e Chicago; ii1) criatividade na invenção das máquinas do futuro, sejam elas os terríveis robôs deletadores, sejam os meios de transportes, como os helijatos e foguetes propulsores individuais, o que, de maneira geral, confere um tom sei-ti à atmosfera épica; iv) trama bem estruturada e bom ritmo narrativo. Outro ponto positivo que merece ser destacado é a aguda percepção de como a conjuntura em que vivemos nessa segunda década do Século XXI caminha a passos largos para se parecer bem de perto com a que é descrita nessa ficção, o que embora não seja um prognóstico a se comemorar, certamente ajuda a chamar atenção para a já massiva onipotência dos mercados e corporações sobre o destino de bilhões de pessoas em todo o planeta.

Skoob | Amazon (Físico) | Saraiva

 

Resumo

No ano de 2050, o mundo se encontra em crise ambiental. A maior parte do mundo já está completamente tomada pela poluição e pela destruição. Uma das poucas reservas ambientais que restaram foi a Amazônia, da qual está sendo cobiçada pelo magnata Jack Stealler ou também conhecido como Gorila.

O ganancioso Gorila tem olhos apenas para o dinheiro e o poder. Mesmo possuindo o poder sobre vários países de primeiro mundo, seu grande objetivo agora é tomar as terras amazônicas. Criando fortes e corruptas alianças, ele cria um grande plano para tomar a Amazônia do governo brasileiro, e criando assim um novo país onde ele comandaria todas as riquezas.

Enquanto Gorila cria e tenta colocar em prática seu plano para tomar a Amazônia, Antônia dos Anjos vive sua vida calmamente nas terras brasileiras. Nascida e criada na pequena cidade de São Bento da Ribanceira, Antônia tem um coração puro e recebe a grande missão de proteger a floresta.

Uma grande guerra se inicia, levando consigo a morte de vários indígenas e a destruição de várias tribos, enquanto toda a mídia é manipulada para acreditar que o povo brasileiro está destruindo toda a riqueza natural do país. De um lado da guerra temos a ganância e o poder, que não medem esforços para adquirir e acabar com todas as riquezas naturais da Amazônia. Do outro lado, uma moça pura encarregada pelo grande espírito de lutar pela natureza e não permitir que o pouco dela que ainda exista seja consumido.

 

Minhas Conclusões sobre A Lucidez da Lenda

Distopias são as obras que mais me deixam interessada e quando tive a oportunidade de ler A Lucidez da Lenda, logo fiquei curiosa. Até mais por se tratar de um nacional, que, infelizmente, acaba tendo menos destaque do que os livros estrangeiros.

Narrado em terceira pessoa, o cenário retratado no livro é quase 100% nacional e traz a Amazônia como o foco de toda a história. Muito da nossa cultura, principalmente relacionado ao nosso folclore e às religiões do Brasil é transportado para o livro. Inserir um pouco de espiritualidade á história, não só enriqueceu o livro, como também deu um toque diferente a essa distopia, já que raramente vemos os dois tópicos se relacionarem.

Ao mesmo tempo, A Lucidez da Lenda nos faz refletir muito sobre o cenário social, político e econômico de um período que não está tão distante de nós. A busca por poder sem se importar com o restante não é algo exclusivo da história de Raul de Taunay, por exemplo.

O autor deu bastante foco para os acontecimentos políticos que envolviam toda a trama, e isso fez com que a leitura se tornasse bem arrastada. Confesso que levei bem mais tempo para realizar a leitura do que o normal. Para quem não está acostumado a leituras com muitos detalhes políticos, pode acabar estranhando de início e até demorando para desenvolver a leitura, mas a história vale a pena. Mas, um ponto interessante e que ajudou com que minha leitura fluisse um pouco mais é o fato de que os capítulos são curtos.

Com o grande investimento nas descrições dos cenários, senti falta de uma aproximação com os personagens. Apesar de possuírem personalidades bem distintas, não havia muitos destaques nas personalidades dos personagens. Eles são bastante esteriotipados e isso, ao meu ver, acaba enfraquecendo muito a ligação entre o leitor, a história e os personagens.

A capa do livro é muito descritiva e não poderia representar melhor a história. As imagens de imponentes prédios em um futuro completamente desconectado do natural em contraste com a silhueta de uma mulher, que creio ser Antônia, preparada para enfrentar o que ameaça a existência da natureza, sua casa.

A diagramação está ótima e o texto apresenta uma formatação que permite uma leitura muito mais fácil. Os inícios de capítulos são sempre marcados por leves imagens dos prédios, acrescentando um ar ainda mais futurístico ao livro.

Em resumo, a história traz um enredo reflexivo e bem carregado com questões políticas. Tem uma leitura bem densa, porém apresenta capítulos curtos, um cenário único e que merece muito mais destaque na nossa literatura. A inserção de figuras da nossa cultura incrementaram muito no enredo e dão um ar diferente à história.

Recomento esse livro para quem curte histórias que envolvam o mundo político e as relações políticas e para quem quer conhecer um pouco mais sobre esse universo.

 

Nota: 3/5

 

Participe!

Espero que tenha gostado da resenha. Se gostou do livro e quer conhecê-lo melhor, você pode adquirir nos links abaixo da sinopse. Se quiser outras resenhas deixe aqui nos comentários e quem sabe não é a sua sugestão a próxima a ser resenhada? 

Não se esqueça de conferir a nossa última resenha do livro O Rouxinol, de Kristin Hannah.

Um abraço e até o próximo post. 😉

Escrito por: Taísa Ferreira Dias

© 2018, www.salaliteraria.com.br. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *