Um de nós está mentindo, de Karen M. McManus [RESENHA]

Título: Um de nós está mentindo

Autora: Karen M. McManus

Páginas: 384

Ano: 2018

Editora: Galera Record

 

Sinopse

Cinco alunos entram em detenção na escola e apenas quatro saem com vida. Todos são suspeitos e cada um tem algo a esconder. Numa tarde de segunda-feira, cinco estudantes do colégio Bayview entram na sala de detenção: Bronwyn, a gênia, comprometida a estudar em Yale, nunca quebra as regras. Addy, a bela, a perfeita definição da princesa do baile de primavera. Nate, o criminoso, já em liberdade condicional por tráfico de drogas. Cooper, o atleta, astro do time de beisebol. E Simon, o pária, criador do mais famoso app de fofocas da escola. Só que Simon não consegue ir embora. Antes do fim da detenção, ele está morto. E, de acordo com os investigadores, a sua morte não foi acidental. Na segunda, ele morreu. Mas na terça, planejava postar fofocas bem quentes sobre os companheiros de detenção. O que faz os quatro serem suspeitos do seu assassinato. Ou são eles as vítimas perfeitas de um assassino que continua à solta? Todo mundo tem segredos, certo? O que realmente importa é até onde você iria para proteger os seus.

Skoob | Amazon (e-book) | Amazon (Fisico)

 

 

Minhas Conclusões sobre Um de Nós Está Mentindo

Toda a história se passa a partir da detenção de cinco alunos do colégio Bayview: Simon, Bronwyn, Nate, Addy e Cooper. Nenhum deles é de fato amigo um do outro, mas todos foram pegos pelo professor portando celulares em sala de aula. Durante a detenção um acidente fora da escola acontece, tirando o professor de dentro da sala e deixando os cinco alunos sozinhos.

Simon, o aluno mais odiado de todo o Bayview por ter criado um aplicativo de fofoca escancarando os segredos dos alunos, entra em choque e acaba morrendo. A polícia suspeita que tenha sido um assassinato e os principais suspeitos são os alunos presentes na sala, afinal todos eles (e toda a escola, na verdade) tinham motivos para matar Simon.

É difícil falar alguma coisa sobre o livro e não acabar revelando todo o segredo da história. Essa é a parte difícil de contar para vocês sobre livros com muito mistério.

A história é contada na visão de cada um dos personagens, intercalando dentro de um mesmo capítulo. Cada vez que os personagens são trocados um data e horário é adicionado abaixo do nome, que facilita nossa localização em uma linha do tempo.

Basicamente ficamos toda a leitura tentando desvendar os mistérios. Em alguns momentos acreditamos que o culpado é um, depois acreditamos que é outro e isso vai se arrastando até o final do livro. Ao mesmo tempo a autora constroe os personagens, criando uma ligação que nos convence que não pode ser realmente este ou aquele personagem o culpado.

Porém, melhor do que o jogo para descobrir quem é o possível assassino, o final é surpreendente. Até imaginei que poderia ser aquele(a) personagem, mas ainda assim não conseguia acreditar que realmente pudesse ser. Uma reviravolta criada pela autora que me deixou com um nó na cabeça.

A escrita é fluida e cheia de informações, porém não cheia de muitos detalhes, proporcionou uma leitura rápida e urgente. Ao largar o livro a única coisa que pensava era nas várias pistas que a autora ia soltando a cada capítulo. Porém, o fato de não ter muitos detalhes acabou deixando os personagens pouco construídos inicialmente e apenas na metade do livro realmente os conhecemos.

Não achei o livro como os de Sidney Sheldon, onde o mistério está emaranhado em cada página. Há pontos na trama onde as informações vão sendo soltas e os pontos lentamente vão se ligando. Mas nem por isso a leitura se tornou exaustiva e um “aí meu Deus quando isso vai acabar?” não surgiu em momento algum.

Os diálogos dos personagens foram contruidos de forma bem real, sem fantasiar muito. Provavelmente seria o que eu diria na maioria deles. O livro ainda fala muito de questões atuais como o envolvimento dos jovens com a tecnologia, bullying, sexualidade, esteriótipos, etc.

 

Participe!

Espero que tenha gostado da resenha. E se você gostou do livro e quer conhecê-lo melhor, você pode adquirir nos links abaixo da sinopse. Não se esqueça de conferir a nossa última resenha do livro Jogador Nº 1, de Ernest Cline.

Um abraço e até o próximo post. 😉

Escrito por: Taísa Ferreira Dias

© 2018, www.salaliteraria.com.br. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *