Sorrisos Quebrados, de Sofia Silva [RESENHA]

Título: Sorrisos Quebrados

Autora: Sofia Silva

Páginas: 240

Ano: 2017

Editora: Valentina

 

Sinopse

Sorrisos Quebrados gira em torno de três personagens: a jovem Paola, a pequena Sol e seu pai, André. Os três são vítimas de violências distintas, que deixaram marcas profundas em cada um. Trata-se de uma história de superação de dores, magia, estrelas e de como importantes laços humanos podem se formar a partir da autoaceitação, da arte e da tolerância no cotidiano.

Skoob | Compre: Amazon | Americanas | Submarino | Livraria da Folha | Livraria Cultura

 

Resumo

Paola está desesperada para fugir de casa. Seu namoro perfeito de anos, acabou em um casamento abusivo e violento. Da noite para o dia o seu marido, carinhoso e perfeito, se transformou totalmente. Na noite em que conseguiu escapar – assim achava – Paola foi atacada pelo pit bull de seu marido e viu sua vida escapando.

Após o ataque, por um milagre, Paola conseguiu sobreviver. 6 anos se passaram e ela ainda tenta se recuperar dos traumas de seu passado. Agora, morando em uma clínica, ela luta para seguir em frente e aceitar suas cicatrizes, externas e internas.

Mas a vida de Paola só começa a mudar de verdade quando ela conhece a pequena Sol, uma das pacientes da clínica que também luta contra seus traumas. Através de Sol, Paola conhece André, que apesar do físico ameaçador é um homem doce, porém marcado pelo passado.

Mesmo apreensivos em se aproximarem, ambos não conseguem resistir à força que tende a mantê-los perto e quem sabe não poderá ser o caminho para curar suas feridas.

 

Minhas conclusões sobre Sorrisos Quebrados

Sorrisos Quebrados foi um livro que mexeu comigo, apesar de alguns pontos que irei ressaltar mais à frente. A história de Paola e André fundamenta-se no amor e na superação de duas almas machucadas.

O livro já inicia com o dia em que a vida de Paola muda. Seu marido se torna outra pessoa, violento, paranoico e cheio de ódio. Mais adiante na história a personagem traz a razão para toda essa mudança de comportamento. Porém inicialmente é possível notar uma conduta psicopata por parte do marido. A cena de violência contra a personagem no momento de sua fuga é descrita com tantos detalhes, baseado na visão da Paola, que causa aflição e uma vontade de ajudá-la.

Mesmo anos depois do ataque, em diversos momentos Paola ainda sente as dores – físicas e psicológicas – deixadas pelo marido. A personagem não consegue olhar para si mesma no espelho e enxergar a mulher linda que é, do jeito que ela é. Além das cicatrizes deixadas pelo cão, as palavras más vindas de seu marido a abalaram completamente.

André é um personagem que se manteve misterioso até metade do livro. Sabemos que ele tem um passado traumático e sofrido, tanto quanto o de Paola, mas a autora guarda essa informação para mais tarde. André, apesar de apresentar uma aparência rude e intimidadora, é doce e sensível. Sua ligação com Paola é tão intensa que é quase impossível um existir sem o outro.

E Sol, filha de André, – e a personagem mais cativante da história – é a ponte entre ele e Paola. Sol é uma personagem doce, mas que também sofreu em seu passado e por conta disso tem sérios problemas de socialização. Inexplicavelmente ela se sente confortável perto de Paola e as duas criam uma amizade forte.

O livro é narrado em primeira pessoa, ora pela Paola e ora por André. Como Paola ama pintar, muitas cenas envolvem cores, que sempre trazem um significado muito maior para a história.

Um ponto que acredito que tornaria a história ainda mais interessante, seria o preenchimento do vão que senti entre o dia do ataque e o presente. Senti falta da cena de como Paola foi resgatada, como era seu estado, como foi sua recuperação e como realmente chegou até a clínica. Todos esses fatos poderiam ter sido acrescentados, mesmo que de forma rápida, pois os pouquíssimos parágrafos dessas cenas ainda não foram suficientes. Senti falta, também da presença dos pais de Paola, que por mais que tivessem os motivos apresentados pela personagem, poderiam ter participado um pouco mais. Senti que eles de fato abandonaram a filha depois de tudo que ela passou.

O livro tem algumas cenas eróticas, mas foi um ponto tão bem trabalhado que não senti a apelação que encontramos em muitos livros. Essas cenas foram dosadas na quantidade certa e todas cheias de romantismo e demonstrando tamanho o amor que crescia entre os personagens. Essas cenas também funcionaram bem para ajudar Paola a enfrentar seus medos, em relação à sua autoestima, afinal de contas anos ouvindo atrocidades sobre seu corpo a fizeram acreditar nessas palavras.

O livro inspira a esperança de que todos podemos superar um passado ruim. Traz a mensagem de que o amor pode ajudar a curar a alma de quem já foi machucado e esse é o fator que torna este livro tão fofo e gostoso de se ler. Iniciei minha leitura aflita com a situação de Paola e emocionada. Finalizei o livro esperançosa de que esses personagens pudessem enfim seguir suas vidas.

 

Participe!

Espero que tenha gostado da resenha. Se gostou do livro e quer conhecê-lo melhor, você pode adquirir nos links abaixo da sinopse. Deixe nos comentários a sua opinião e contribua com crescimento do blog, agregando sua visão sobre a história.

Livros precisam ser lidos, relidos e discutidos.

Aproveite e assine o nosso BOLETIM, localizado na lateral do site e fique por dentro das novidades aqui do blog. Não se esqueça de conferir a nossa resenha O Vilarejo, de Raphael Montes.

Um abraço e até o próximo post. 😉

 

Escrito por: Taísa Ferreira Dias

© 2017, www.salaliteraria.com.br. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *