O Fio do Bisturi, de Tess Gerritsen [RESENHA]

Título: O Fio do Bisturi

AutoraTess Gerritsen

Páginas: 240

Ano: 2016

Editora: HarperCollins

 

Sinopse

Imagem retirada do site Amazon.com.br

Aquele parecia ser apenas um procedimento cirúrgico de rotina. A dra. Kate Chesne injetou duzentos miligramas de sódio pentotal na linha endovenosa de sua paciente e colega de equipe, e aguardou até a anestesia pegar. Mas logo o monitor disparou o alarme. O coração da enfermeira Ellen O’Brien havia parado. Um óbito estúpido e absolutamente inesperado. E todas as suspeitas recaem sobre Kate. Afinal, tudo indicava que ela havia avaliado erroneamente o eletrocardiograma de Ellen. 
Para David Ransom, o caso começou encerrado. Má prática. Como advogado da família O’Brien, ele iria condenar a anestesista em um estalar de dedos. Afinal, essa era sua especialidade. Mandar para a cadeia médicos incompetentes. Mas ele não esperava ter seu escritório invadido por Kate, tampouco ser desafiado a buscar a verdade. Kate estava certa de que fora usada. Quando um médico e uma enfermeira são encontrados com os pescoços lacerados, David começa a dar crédito a ela. Um assassino anda a solta entre os pacientes e a equipe do Hospital de Honolulu. Agora David busca respostas para as mesmas perguntas de Kate. Quem será o próximo? E por quê? 
Considerada uma das vozes mais versáteis do suspense, em O fio do bisturi Tess Gerritsen apresenta mais um enredo com todos os elementos de suspense e mistério que a consagraram pela crítica especializada como a rainha do thriller médico.

 

Skoob 

Compre: Amazon (Físico) | Amazon (eBook)

Submarino | Americanas

 

Resumo

Kate Chesne é uma anestesista muito competente e inteligente. Seus pacientes são sempre tratados com carinho e atenção. Mas a enfermeira Ellen O’Brien, que agora é sua paciente na sala de cirurgia, tem a atenção redobrada de Kate, afinal ela não é só a sua paciente, mas uma amiga e colega de trabalho.

Tudo corria muito bem durante a cirurgia quando o coração de Ellen simplesmente para. A morte da enfermeira é inevitável e deixa a todos na sala de cirurgia confusos e atônitos.

Os exames de Ellen relataram que ela teve uma parada cardíaca durante a noite, mas Kate jura que estes não são os verdadeiros exames da enfermeira. Agora é acusada de negligência pela família O’Brien, que contrata David Ransom para processar a médica.

David é um advogado famoso por ganhar diversos processos contra médicos. Seu passado o motiva a ir com tudo contra os médicos, ajudando as famílias dos pacientes a ganhar os casos. Mas um encontro com Kate o faz começar a duvidar da culpa da médica e aos poucos a ajuda a encontrar respostas para esse caso tão misterioso.

As coisas começam a ficar realmente estranhas e assustadoras, quando outros médicos começam a serem mortos e aos poucos as peças do quebra-cabeça vão se juntando.

 

Minhas Conclusões sobre O Fio do Bisturi

O Fio do Bisturi é um thriller com poucas páginas, mas com cenas que entregam uma aflição ao leitor. De cara iniciamos a leitura com a cena de um assassinato e ao longo das páginas os personagens vão aparecendo e destacando sua funcionalidade no enredo.

Escrito em 3ª pessoa, podemos ter a visão de todos os personagens e as cenas são descritas com rápidos detalhes deixando a leitura mais rápida, porém ao mesmo tempo real e angustiante.

Os personagens são rapidamente construídos também. Conhecemos as características de cada um em uma descrição dada pelo narrador logo que o personagem aparece na história. Sua personalidade vai se desenvolvendo através dos diálogos com outros personagens e breves comentários do narrador.

O Fio do Bisturi foi lançado pela primeira vez em 1990 e durante a escrita conseguimos perceber detalhes que nos mostram que o livro foi escrito há um tempo. Esses detalhes acabam se tornando importantes para a história, mas de forma alguma atrapalha o desenvolvimento da história.

Em meio ao desenvolvimento da trama do assassinato um romance acontece entre Kate e David, o que parece bem previsível e me fez sentir que foi um pouco forçado para o leitor. A autora parece que sentiu a necessidade de colocar um romance intenso, porém, não sei se por conta das poucas páginas, essa relação não aconteceu gradualmente. O foco ora era o romance, ora era os assassinatos. Até mesmo a personagem diz se sentir perdida, pois quando deveria estar focada no terror que estava acontecendo ela estava envolvida com David.

Apesar desses momentos um pouco perdidos em meio ao suspense, o ritmo do livro é intenso, as cenas são fortes e inesquecíveis. Buscamos resolver o mistério junto com a protagonista. É difícil parar a leitura porque a necessidade de descobrir a verdade é mais forte.

A autora constrói toda a trama apontando um desfecho previsível, mas nos surpreende com um final muito mais complexo e sem pontas soltas.

A capa produzida pela editora Harper Collins é simples, porém os detalhes conversam com a história. Além disso ainda traz uma citação do autor Stephen King sobre a autora. Tentei encontrar a capa da primeira edição para vocês, porém não consegui encontrar. Levando em consideração o ano da primeira publicação imaginei que talvez não seria possível. Mas de todas as capas de outras edições publicadas a capa ao lado foi a que mais me chamou a atenção e mais tem a ver com nossa.

A nota que dou ao livro é 3, não porque o livro é ruim, porque ele não é. O livro é emocionante, mas a quebra da história com a forçação de um romance se tornou um ponto negativo na leitura para mim.

Nota: 3/5

 

Participe!

Espero que tenha gostado da resenha. Se gostou do livro e quer conhecê-lo melhor, você pode adquirir nos links abaixo da sinopse. Lembrando que se comprar por esses links você ajuda o blog a continuar e assim podemos trazer mais resenhas para vocês.

Se quiser outras resenhas deixe aqui no comentário e quem sabe não é a sua sugestão a próxima a ser resenhada? Se você já leu O Fio do Bisturi deixe aqui nos comentários a sua opinião. Destaque algo que você gostou ou não e compartilhe com a gente a sua opinião.

Não se esqueça de conferir a nossa última resenha do livro Todas as Bocas que Beijei (ou sonhei), de Luisa Aranha.

Um abraço e até o próximo post. 😉

Escrito por: Taísa Ferreira Dias

© 2018, www.salaliteraria.com.br. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *