Entrevista com o autor – Mai Passos G.

 

Olá queridos leitores do Sala Literária. A Entrevista Com o Autor de hoje destaca a escritora Mai Passos G., autora do livro Sofia. Conheça um pouco mais sobre ela e seu trabalho.

 

Sofia

Sophie nunca aceitou a morte de Sofia, a irmã mais velha. Um dia ela tinha sido acordada pelas sirenes e, no outro, presenciara o enterro da irmã. Aos seis anos de idade, teve que lidar com a dura realidade de ver sua mãe lutando todos os dias para sobreviver, e ver seu pai cada vez mais ausente. Os anos passaram-se, com ele veio o divórcio, e o que sobrara de sua família se ruíra: seu pai encontrara uma nova família; e sua mãe mantinha-se inerte em si mesma. Aos 18 anos Sophie arrumou as malas e embarcou em uma alucinante jornada atrás da única coisa que sobrara de Sofia: seu coração – agora batendo no peito de um estranho. Sophie saiu de casa no meio da noite, deixando apenas um bilhete para a mãe: “Vou atrás de Sofia, mamãe. Vou consertar essa bagunça”

Compre aqui.

 

Entrevista

 

Fale um pouco sobre você para que nossos leitores possam te conhecer melhor.

 

Bom o meu nome de batismo é Marcela, mas todos me conhecem por Mai, longa história, o que posso dizer é que tem a ver com uma personagem maluca de um seriado mexicano. Tenho 25 anos, sou Gaúcha, nascida e criada em Porto Alegre. Tenho 4 irmãos. Sou formanda em Gestão Comercial pela Universidade Leonardo da Vinci, sou colorada, feminista, ativista, blogueira e colunista. Sou fã alucinada da Dulce María e do Christopher Von Uckermann (ex RBD’s), sou fã do RBD até hoje (tenho uma tatuagem com o nome da banda no pulso). Além deles sou muito, muito fã do Nick Jonas (sim o ex Jonas Brothers – banda – porque ele continua um Jonas e irmão do Kevin e do Joe). Amo séries. Minha favorita é Supernatural. Mas, assisto: Teen Wolf, Arrow, The Flash, Supergirl, The Blacklist, Blindspot, Criminal Minds e mais uma penca. Sou fã de música latina e de pop internacional. Adoro um rock nacional estilo Capital Inicial. Sou meio maluca, e minha maior paixão é escrever.

 

Qual foi sua inspiração para escrever Sofia?

 

Veio depois que assisti o filme “Em busca do coração de David” onde a menina perde o irmão atropelado e vai em busca do receptor do coração. O filme me deixou muito, muito frustrada porque faltou emoção sabe, faltou delicadeza, ficou algo tão “Ok, ela se sente culpada”. Eu queria falar de sensações humanas, de pessoas que perderam outras, da dor, do luto, da saudade. Eu queria que os leitores sentissem isso. Muitas vezes, o luto nos inibe de sentir a dor, ele faz, na grande maioria das vezes, a gente sentir raiva. O luto não é sobre brigar com Deus por, supostamente, ter nos tirado alguém. Deus nada tem a ver com isso. O luto é sobre saudade, sobre amor, sobre se perdoar e entender que a vida é um ciclo, a gente nunca sabe o que acontece no segundo seguinte. O luto é saber que escolhas são feitas o tempo todo e ninguém pode controlar isso.

 

Conte um pouco sobre os personagens. Eles são baseados em pessoas reais?

 

Bom, fisicamente sim. Sophie e Adam são baseados em Demi Lovato e Joe Jonas, meu eterno ship, e isso aconteceu muito sem querer, eu comecei a escrever os personagens e os traços físicos e só me vinham os dois na cabeça, tanto é que o nome “Adam” é em homenagem ao Joe, que seu nome de batismo é “Joseph Adam Jonas”. Fora isso a personalidade e as escolhas são dos próprios personagens, eles foram se mostrando de acordo com o que eu ia escrevendo, se moldando e se apresentando.

Fernanda e Marco tem um pouco dos pais de um amigo. Eles perderam o filho e eu vi, por muito tempo, o quanto ela, a mãe, se culpou. Na realidade ela nunca teve culpa nenhuma, foi uma fatalidade de estar no lugar errado, na hora errada.

 

Quanto tempo durou a produção deste livro? E como foi a experiência?

 

A escrita durou um ano. A produção 2 meses.

Sobre o processo de escrever ele foi bem intenso e, muitas vezes, me senti exausta da enxurrada de emoções que descarreguei em cada linha. Sofia, apesar de ser pequeno, carrega uma dose bem grande de emoções minhas. Culpa, dor, amor, saudade e redenção. As partes finais escrevi em um momento bem complicado, descontei nas palavras a saudade e a frustração.

Sobre a publicação, foi bem interessante, aprendi muito sobre o meio comercial e de não confiar em editoras já que o trabalho entregue não foi o contratado. Nem pela editora e nem por quem corrigiu.

 

Além do livro Sofia, você já é autora de outro livro. Conte um pouco sobre ele.

 

Sim, meu primeiro livro “Aos Meus Olhos” publicado em 2012. É um livro bem pessoal, onde na verdade criei uma história para despejar toda a dor que senti após um episódio, aparentemente bobo, mas que marcou muito a minha vida, pois na época que tudo aconteceu eu era uma menina de 14 anos, que ainda brincava de boneca e estava vivendo a experiência do primeiro amor. Carreguei durante dez anos a culpa de me apaixonar por alguém que não deveria, essa pessoa me fez muito mal, e desenvolvi muitos problemas de auto-estima por causa disso. Na época em que escrevi essa história eu tinha 18 anos, faziam 4 anos do episódio, e eu encontrei na escrita uma forma de fazer as pessoas entenderem porque me fechei em um mundo fora da realidade das pessoas. Eu queria falar para todos entenderem que eu estava num lugar tão distante de mim mesma, mas, não sabia como, por isso escrevi e acabei sendo publicada. Se for hoje, fazer uma análise da história, ela é bem bobinha e ilusória, mas carregada de uma tristeza e culpa produzida durante anos por uma menina de catorze anos. Hoje, mais de dez anos depois posso dizer que essa história está no passado.

 

Para alguns escritores, hoje é muito difícil publicar um livro. Você encontrou alguma dificuldade para publicar sua obra?

 

Sim, muitas. Desde a escolha da editora a contratação de quem iria fazer a correção. Resumindo: a pessoa que corrigiu fez um trabalho meia boca e não entregou o combinado assim como a Editora que oferecia uma serviço e entregou outro.

 

Recentemente você abriu a Editora Independente, da qual somos parceiras. Poderia contar para nossos leitores um pouco sobre este trabalho?

 

Posso sim. É um projeto que surgiu após eu sofrer muito com a divulgação de “Sofia”. Hoje você paga para ser publicado, é difícil achar Editoras que investem em você, ainda mais se for iniciante e não tiver público e mídia. O foco da Independente vai ser publicar em EBOOK (orçamento muito mais barato) e cuidar exclusivamente do Marketing e do Autor, lançar ele no mercado Editorial, fazer com que as pessoas o conheçam. Só depois pensar em publicação física.

 

Como a literatura passou a fazer parte da sua vida e como ela influenciou você na criação de seus livros?

 

Ela passou a fazer parte depois que li “Amor Impossivel, Possivel Amor”. Hoje ela influencia em diversos aspectos da minha vida, mas principalmente na forma como tenho enxergado a vida. Sou fã de um bom clichê de romance e drama, e muitos dos autores do quais eu leio divagam sobre a vida, a morte, amor, paixão. Me ajuda, muitas vezes, a diferenciar situações, além claro de relaxar e me fazer desenvolver a capacidade de imaginar, viajar, e sentir. Como diz um desconhecido por aí “Quem lê, vive mil vidas antes de morrer”

 

Além de escritora, você tem outra profissão ou se dedica exclusivamente aos seus livros?

 

Atualmente estou trabalhando com a Gestão de Marketing e Comercial do Supermecado da minha família, mas, a minha escrita hoje é minha primeira opção, estou me dedicando a ela.

 

Perguntas rápidas:

Um livro: As batidas perdidas do coração.

Um autor: Rick Riordan

Uma música: Who I Am – Nick Jonas

Uma boa lembrança: dos abraços que ganhei de Dulce e Christopher nos Meet and Great.

Um personagem: Rafael de As batidas perdidas do Coração.

Um filme inesquecível: Um amor para recordar

Um hobby: Ler

Um lugar: o abraço do meu pai

 

Gostaria de dizer algo mais para seus leitores?

Leiam, vivam, se divirtam, cantem, gritem. Sejam o que quiserem ser, sempre. Sem medo, sem bloqueios sem preocupação. A vida começa todos os dias nos segundo seguinte. Beijos.

 

Mai Passos G é nascida em Porto Alegre em janeiro de 1992. Mai é a segunda filha de uma família de cinco irmãos. Filha de Paulo e Jaque, empresários do setor de Super Mercados, a pequena escritora encontrou nos livros sua paixão e na escrita o amor. Começou a escrever Web Novelas do RBD em 2008, passando em seguida a escrever Web Novelas Vondy para comunidades do Orkut. Em novembro de 2012 publicou seu primeiro livro; “Aos Meus Olhos – você não vai entender até que possa sentir”. Em 2014 começou a escrever “Sofia” sua segunda obra, postando-a posteriormente no aplicativo Wattpad. “Sofia” ganhou formato físico em 2016, tendo seu lançamento na Bienal do Livro de 2016 em São Paulo.

Conheça melhor a autora aqui.

 

 

Escrito por: Taísa Ferreira Dias

 

© 2017, www.salaliteraria.com.br. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *